Ações de combate ao Aedes são realizadas com orientações sobre o descarte irregular de lixo

13 de julho de 2022

A Prefeitura de Manaus deu início a um novo cronograma de intensificação das ações de combate ao Aedes aegypti nos bairros mais vulneráveis para doenças transmitidas pelo mosquito na capital – dengue, zika e chikungunya. Realizada por agentes de endemias da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), a programação tem o objetivo principal de conscientizar a população sobre a forma correta de cuidar dos seus ambientes e impedir a proliferação de focos do mosquito.


O chefe do Núcleo de Controle da Dengue da Semsa, Alciles Comape, informou que a atividade dá continuidade ao plano de ação criado a partir do 1º Diagnóstico de Infestação do Aedes aegypti (LIRA-a) de 2022, realizado em abril. Foram identificados 17 bairros com alta vulnerabilidade, 29 com média vulnerabilidade e 17 com baixa vulnerabilidade.


“Estamos intensificando as ações mais uma vez para conscientizar a população sobre a eliminação dos focos do Aedes aegypti. Nós entramos no período do verão amazônico, com menos chuvas, e isso provoca uma leve redução no número de casos de dengue, mas eles continuam surgindo e precisamos nos manter em alerta. Só nos 12 primeiros dias de julho, já tivemos 30 notificações da doença”, informou.


Nos dias 5 e 7 deste mês, as ações foram concentradas nos bairros Coroado e Zumbi, na zona Leste, e nesta terça-feira, 12/7, chegaram ao bairro Dom Pedro I, zona Oeste. Os agentes de endemias, do Departamento de Vigilância e Epidemiologia em Saúde (Devae), ainda passarão pelo bairro Lírio do Vale, na quinta-feira, 14; Cidade Nova, no dia 19, e Novo Aleixo, no dia 21, ambos na zona Norte; Betânia no dia 26, e Japiim no dia 28, na zona Sul.


“A secretaria aproveita esse momento em que os casos notificados estão diminuindo, para alertar a população sobre os cuidados, e quando voltarmos ao período chuvoso, a partir de outubro e novembro, a infestação do mosquito estará menor e consequentemente teremos menos pessoas doentes”, observou Alciles.


Resíduos

O 1º LIRA-a de 2022 apontou que o descarte irregular de lixo é um dos fatores que mais contribui para a proliferação do mosquito. Por conta disso, o trabalho está sendo desenvolvido em parceria com educadores da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp).


A coordenadora de Educação em Saúde do Distrito de Saúde (Disa) Oeste, Raimunda Silva, explicou que copos descartáveis, garrafas PETs e sacos plásticos, por exemplo, podem se tornar depósitos de ovos do Aedes aegypti se forem descartados incorretamente. É comum encontrar esses materiais em quintais, pátios e jardins.