A História de Zumbi e dos Palmares

20 de novembro 2021

Estátua de Zumbi dos Palmares na Praça da Sé, em Salvador BA inaugurada em 30/05/2008. Líder Negro de todas as Raças. Foto: Reprodução da Internet


De 1678 a 1695 Zumbi foi o líder do Quilombo dos Palmares – o maior e mais longevo quilombo do Brasil que surgiu no final do século XVI e recebeu esse nome pela quantidade de palmeiras que existiam no local. Estava localizado na região que hoje corresponde parte dos territórios de Alagoas e de Pernambuco. Era a junção de várias pequenas aldeias, chamadas também de mocambos, formadas por escravos fugitivos dos engenhos. Reuniu cerca de 20 mil habitantes, de acordo com o doutor em História Social, Felipe Aguiar Damascenos, autor da tese: “A ocupação das terras dos Palmares de Pernambuco” (UFRJ, 2015).


A decadência da comunidade aconteceu a partir da década de 1680. Em 1694 o mocambo do Macaco, maior das aldeias da região dos Palmares, foi destruído por ataque de bandeirantes portugueses.


Em 20 de novembro de 1695, Zumbi, foi capturado e morto. São poucas as informações documentais que se tem dele. O próprio nome do último líder dos Palmares ainda suscita dúvida se tem relação direta com o personagem da história ou com uma posição de autoridades como título. Mas sabe-se que ele conduziu a resistência Palmariana até os últimos dias de vida, por isso foi destacado pelos movimentos antirracistas brasileiros como símbolo da luta dos negros no país e a data de sua morte foi escolhida para aludir o Dia Nacional da Consciência Negra.


Da redação do BN