Arcebispo de Manaus se tornará oficialmente o 1° cardeal da Amazônia no mês de agosto, em Roma

30 de maio de 2022


Nomeado como novo cardeal, Dom Leonardo Steiner continua sendo arcebispo de Manaus


Equipe BN

Mayane Batista

Dom Leonardo Steiner será nomeado oficialmente cardeal no dia 27 de agosto, em Roma

(Manaus-AM) - O arcebispo metropolitano de Manaus, Dom Leonardo Ulrich Steiner será o primeiro cardeal da Igreja Católica da Amazônia. Oficialmente, o religioso será nomeado como novo cardeal no dia 27 de agosto, em Roma, na cerimônia de Consistório (reunião de cardeais). Com isso, a Arquidiocese de Manaus se tornará uma sede cardinalícia.


O anúncio dos novos cardeais da Igreja Católica foi feito neste domingo (29), pelo papa Francisco, na Praça de São Pedro, no Vaticano.


Além de Dom Leonardo Steiner outro religioso brasileiro também foi nomeado como cardeal, o arcebispo metropolitano de Brasília, Dom Paulo Cezar da Costa.


Em coletiva à imprensa, nesta segunda-feira (30), na Casa Episcopal, sua residência, Dom Leonardo Steiner relatou que foi surpreendido com o anúncio da nomeação feita pelo papa Francisco neste domingo. “Eu fui surpreendido com a nomeação. O papa atual não costuma comunicar nada antes. Ele chega à janela, na Praça de São Pedro, e apresenta os nomes. Eu primeiro fiquei meio incrédulo porque existe muita conversa sempre, mas uma coisa até chegar o momento da nomeação não tinha nenhum comunicado oficial. É uma alegria muito enorme para nós da Amazônia”, disse o arcebispo.


Dom Leonardo Steiner ainda ressaltou que o papa Francisco tem um olhar de delicadeza para com a Amazônia e que no pico da pandemia de Covid-19, em 2020, ligou, pois estava preocupado com os povos indígenas, ribeirinhos e os pobres. Na ocasião, manifestou também solidariedade às vidas que foram perdidas nesse período.


“A nomeação minha não diz respeito apenas a minha pessoa. Eu não entendo assim, nós sabemos que o papa Francisco tem um carinho especial pela Amazônia e pelas igrejas que estão aqui. E com essa nomeação ele nos mostra o quanto ele está próximo das nossas igrejas e está próximo da nossa região”, enfatizou.


Com a nomeação ao novo cargo, Dom Leonardo continua sendo arcebispo de Manaus, mas irá precisar viajar para Roma algumas vezes onde participará de diversas reuniões. “As atividades continuam normais, o título não muda nada, é só um pouquinho mais de trabalho”, disse Steiner.


Os cardeais, além de assumirem mais atividades dentro da igreja, ao serem ordenados também votarão em uma eleição de um novo papa, caso haja renúnica ou falecimento do atual.


Antes dos 80 anos, os cardeais podem votar e ser votados. Após essa idade, eles continuam exercendo o cargo, mas não participam das eleições caso aconteça à eventualidade.


Sobre o novo Cardeal da Amazônia

Dom Leonardo Steiner, nasceu em 6 de novembro de 1950 em Forquilhinha, estado de Santa Catarina, na diocese de Criciúma (Brasil). Fez sua profissão religiosa na Ordem dos Frades Menores em 2 de agosto de 1976 e foi ordenado sacerdote em 21 de janeiro de 1978.


Estudou Filosofia e Teologia nos Franciscanos de Petrópolis; é bacharel em Filosofia e Pedagogia pela Faculdade Salesiana de Lorena. Obteve a licenciatura e o doutorado em Filosofia na Pontifícia Universidade Antonianum de Roma.


Foi nomeado bispo auxiliar de Brasília antes de vir para a capital amazonense. Em janeiro de 2020 assumiu a Arquidiocese de Manaus, quando foi nomeado pelo papa Francisco a assumir o cargo ocupado por Dom Sérgio Castriani, em 2013. Dom Leonardo já foi duas vezes secretário-geral da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).


Confira o anúncio feito pelo Papa Francisco : https://www.facebook.com/vaticannews.pt/videos/5234942056582110