Bolsonaro explica redução de IPI e critica senadores do AM

1 de março de 2022

O presidente da república disse em entrevista a CNN que a redução do imposto será positivo para a arrecadação do país

Durante entrevista à Jovem Pan News, desta segunda-feira, 28/02, o presidente da república Jair Bolsonaro (PL) esclareceu à população sobre os benefícios do decreto que reduz para 25% a alíquota do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) na linha branca e veículos automotores. Ele chamou de “circo” a enxurrada de críticas protagonizadas pelos senadores Eduardo Braga (MDB) e Omar Aziz (PSD) chamando-os de “senadores medíocres” porque nada fizeram pelo modelo e usavam a Zona Franca de Manaus, antes do seu governo, para fins pessoais, questionando-os porque eles nunca apresentaram outros vetores econômicos para o Estado quando foram governadores.


Na ocasião, Bolsonaro pediu para que os senadores solicitassem audiência com a presença dele e não do ministro da Economia, Paulo Guedes. Que se os dois apresentassem educação, iria conversar com sensatez com ambos. “Paulo Guedes trouxe as propostas para mim, a redução (do IPI) poderia chegar a 50%, a equipe econômica resolveu ser mais prudente e baixamos em 25%, isso atinge uma redução de preço, matéria de linha branca, como geladeira, fogão, ar-condicionado, e também a indústria automotiva. Nós vamos deixar de arrecadar R$ 20 bilhões por ano. De onde vinha esse dinheiro?”, questionou Bolsonaro. “O dinheiro vinha do povo. Então ao longo deste ano o povo vai ter R$ 20 bilhões no bolso, vão gastar em outras coisas. Vamos gerar imposto em outras áreas”, complementou.


Ao ser questionado sobre as enxurradas de críticas que vinha recebendo de “pseudo neoliberais”, especificamente de parlamentares que "defendem" o Polo Industrial de Manaus (PIM), Bolsonaro respondeu que há dois senadores medíocres: Eduardo Braga e Omar Aziz, que ficaram um ano batendo nele por conta da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Covid-19 e que não colaboraram em nada, tentando desgastar o governo. “E o Omar Aziz vai tentar a reeleição. Nunca procuraram o governo para nada, cuidando apenas dos seus interesses localizados aí no estado do Amazonas. E parece que querem uma audiência com o Paulo Guedes. Pede uma audiência para mim. Eu quero conversar com eles. Não vou fugir de conversar com Eduardo Braga e com Omar Aziz. Vão ter que conversar comigo, quer expor sua posição, de forma sensata, com educação, a gente conversa. No nosso entendimento a Zona Franca de Manaus não será prejudicada”, reiterou Bolsonaro.


Na ocasião da entrevista, o chefe do executivo afirmou, ainda, que nem Eduardo e Omar, que fizeram essa “onda” toda para desgastar a imagem do presidente no estado do Amazonas, em especial, na capital, fizeram nada pelo Estado. “O tempo todo na base da ignorância, violência. Esses representantes que dizem que estão levando o progresso para o estado do Amazonas? O que eles fizeram no passado contra as demarcações de terras indígenas que formam uma verdadeira indústria. Porque a economia verde não se faz presente no Estado, porque o turismo não se faz presente, porque uma piscicultura de ponta não entra no mercado?”, questionou.


“Nunca fizeram nada, inclusive a própria Zona Franca de Manaus era uma vergonha antes de eu assumir, por conta desses senadores porque estava nas mãos desses senadores que usam aquilo para interesses pessoais. Pergunta para o pessoal da Zona Franca como os assuntos estão sendo tratados, com a nossa indicação na presidência. Essa redução de 25% no percentual do IPI vai ser bom, vai ser o inicio da reindustrialização no Brasil, a carga tributária no pais é muito grande”, defendeu.


Texto: Divulgação

Foto: Reprodução