Caprichoso resgata suas origens

25 de junho de 2022


Livia Viana

Especial para o BN

Caprichoso alternou momentos surpresas e de alegorias em movimento

Manaus (AM) - Na noite desta sexta-feira (24), primeira noite de festival, foi possível comprovar que de fato, o Caprichoso resgatou suas origens e levou o torcedor ao delírio.


Delírio que se espalhou em vários cantos da ilha da magia e do mundo. Só na transmissão pelo Youtube, haviam mais de trinta e três mil pessoas acompanhando o espetáculo cultural.


O artista plástico, Marialvo Brandão, havia dito em entrevista antes do início do Festival de Parintins, que o boi Caprichoso iria resgatar o formato de apresentação que o bumbá tinha anos atrás.

Formato esse que incluía momentos surpresas e transformações de alegorias, que se movimentavam e se revelavam.


Como tema da primeira noite de apresentação, o boi Caprichoso trouxe “Amazônia-Floresta: o grito da vida”, em forma de manifesto em defesa da preservação.


A noite também foi marcada por emoção e saudade, especialmente para as pessoas que enfrentaram um grande desafio durante a pandemia da Covid-19, que tirou vidas, deixou sequelas e lembranças.


Em outro ponto em defesa da vida e da preservação, o bumbá enfatizou os riscos que o garimpo causa na floresta, nos rios e nas vidas dos ribeirinhos.


A estrela da noite, o Caprichoso, não demorou para chegar e causou frenesi no bumbódromo.


Com muita exuberância dançou ao lado de sua sinhazinha e da galera.


Quando menos se esperava, o boi surgiu cercado por uma estrela gigante, no meio da torcida azul. Um hoverboard que voa, entregou o porta-estandarte para Marcela Marialva, que concorre ao item 5 e, mais uma vez causou euforia.