Cigás apresenta benefícios do gás natural para o segmento termelétrico na Aleam

1 de dezembro de 2021


Representantes da Companhia de Gás do Amazonas (Cigás), atendendo a convite, nesta terça-feira (30/11), participaram de reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Energia, da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam). Na ocasião, foi apresentado um panorama geral de atuação da concessionária e dos investimentos voltados ao segmento termelétrico no estado.


Responsável pelos serviços públicos de distribuição e comercialização de gás natural no Amazonas, a Cigás fornece gás natural (GN) para os segmentos termelétrico, industrial, veicular, comercial e residencial. Durante a reunião, foram apresentados dados sobre os investimentos executados pela Companhia ao longo dos 10 anos de operação comercial e, também, as vantagens comparativas do gás natural para o desenvolvimento socioeconômico do Amazonas.


Na oportunidade, foi tratado sobre o volume de GN contratado pela Amazonas GT, que permite a geração de energia elétrica para a capital e os municípios de Anamã, Anori, Caapiranga, Coari e Codajás. O fornecimento de gás natural para este segmento contribuiu para a mudança da matriz de geração de energia elétrica no Amazonas, com a utilização do GN em lugar de óleo diesel por usinas termelétricas, com impacto positivo no meio ambiente e a melhoria da mobilidade urbana em decorrência da redução do número de carretas em circulação, na capital amazonense.


Também foi destacado o volume comercializado pela Cigás para o segmento termelétrico. Dados compilados pela Companhia, indicam que, de janeiro a setembro deste ano, a média de volume de gás natural comercializado para a geração de energia elétrica atingiu 5,1 milhões de metros cúbicos por dia (m³/dia).


Na oportunidade, o diretor-presidente da Cigás, René Levy Aguiar, também esclareceu que o Sistema Interligado Nacional, sob a coordenação do próprio Ministério de Minas e Energia, possui encargos orientados para a universalização das tarifas no País, por isso, a economia gerada com a mudança de matriz energética é diluída entre os estados.


O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito, deputado Sinésio Campos, destacou a importância dos esclarecimentos da Cigás em termos contratuais. O deputado Dermilson Chagas, que é membro da comissão, também participou presencialmente da reunião. Outros parlamentares acompanharam a reunião de forma on-line.


Fonte: http://www.amazonas.am.gov.br/