Embaixador do Brasil na ONU pede cessar-fogo imediato

28 de fevereiro de 2022


O pedido foi durante a 11ª Reunião Emergencial da ONU, que discute hoje (28), a resolução condenando a ofensiva militar russa. Além do cessar-fogo na Ucrânia, o porta voz brasileiro pediu que os países reavaliem as retaliações à Rússia.


Jonária França

(Equipe BN)

Ronaldo Costa Filho, embaixador do Brasil na ONU: “cessar-fogo antes que seja tarde demais”


Nova Mutum (MT) - Com um discurso cuidadoso e um olhar para as perdas mundiais que uma guerra pode trazer, o embaixador do Brasil na ONU, Ronaldo Costa Filho, reforçou os pedidos de cessar fogo imediato na Ucrânia, durante 11ª Reunião Emergencial Especial da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), nesta segunda-feira (28), em Nova York, que tem como objetivo votar a resolução condenando a ofensiva militar russa na Ucrânia.


A votação envolve os 193 países-membros da sessão emergencial da Assembleia Geral da ONU. O porta-voz do governo brasileiro falou em seu discurso, sobre a preocupação com o futuro da humanidade e destacou as alterações na economia como um dos problemas que precisam ser pensados neste momento de crise, com os sucessivos eventos que o mundo vem presenciando. “Se não for impedido a tempo, vão trazer muitos prejuízos”, disse.


Além de falar para os dois países envolvidos diretamente na guerra – Rússia e Ucrânia – o embaixador Costa Filho direcionou o discurso aos demais países envolvidos, pedindo que suas decisões de fornecimento de armas, ataques cibernéticos e as aplicações de sanções seletivas sejam reavaliadas, assim como todas as demais ações que possam agravar a segurança econômica mundial.


Entre os argumentos utilizados em seu discurso para os problemas que a guerra pode trazer, Costa Filho destacou ser preciso pensar na consequência do conflito como o aumento da fome, problemas de saúde, falta de abrigos e proteção dos civis. “Pedimos que tanto a Rússia quanto a Ucrânia garantam a retirada das pessoas com segurança”, frisou o embaixador do Brasil na ONU.


Divulgação dos resultados

A sessão da ONU deve durar o dia inteiro, pois envolve 193 países. A decisão da condenação ou não da Rússia será divulgada nesta terça-feira (1º). Pelo menos dois terços dos integrantes precisam votar a favor. Caso seja aprovada, a condenação terá como peso político para a Rússia, o isolando do país de forma global.


Esta é a primeira vez desde 1982 que o Conselho de Segurança da ONU solicita sessão de emergência da Assembleia Geral, e a 11º convocação extraordinária em toda a história. O pedido foi apresentado pelos Estados Unidos e pela Albânia e aprovado no domingo (27) com o apoio de 11 países, entre eles o Brasil. Houve abstenção da China, Índia e Emirados Árabes, e voto contrário da Rússia, que não pôde usar poder de veto. (Com informações da Agência Brasil).


Foto: Reprodução