Encenação da 'Paixão de Cristo' marca o retorno do teatro ao ar livre em Santarém

16 de abril de 2022


O espetáculo atraiu o público que lotou a praça Tiradentes e reviveu os últimos momentos de Jesus antes de sua morte e ressurreição. Esta é a primeira vez, após dois anos de pandemia, que a cidade realiza evento cultural ao livre.


Nely Pedroso

Equipe BN

A Paixão de Cristo: Jesus pregado na cruz junto a dois ladrões


Santarém (PA) - A praça Tiradentes, no bairro da Aldeia, foi palco de estreia da 31ª Mostra de Teatro Amador de Santarém, nesta sexta-feira (15), com a apresentação do Espetáculo Sacro ‘Paixão de Cristo’, pelo grupo de teatro Kauré, que atua na cena teatral santarena há 22 anos. O grupo é responsável pela apresentação da Paixão de Cristo que vem sendo encenada há 35 anos na cidade.


O evento, ao ar livre, atraiu centenas de pessoas para assistir à apresentação, que este ano, com o avanço da vacinação e flexibilização do uso da máscara no município, foi realizado com a presença do público após dois anos de pandemia da Covid-19 e com limitação de cadeiras reservadas, com ingressos vendidos ao preço de R$ 5,00.


A apresentação, que iniciou por volta das 20h, teve duas horas de duração, com narrativas e encenação dos ciclos da vida de Jesus na terra, com episódios que vão de sua entrada triunfal em Jerusalém (festejada com ramos), última ceia com os discípulos, a traição de Judas, sua morte na cruz, até a sua vitória triunfal com a ressurreição.


Cenas tristes e dramáticas, com grande atuação do ator João Carlos, que representou Jesus e emocionou o público. Muita emoção, também, nas cenas dos açoites e mutilação do Filho de Deus pelos soldados após ser condenado por Pôncio Pilatos; sua morte após ser pregado na cruz e o sofrimento de Maria ao ver seu filho morto, todo ensanguentado.



Uma curiosidade é que João Carlos contracena com sua mãe Vânia Rego, como Jesus e Maria no espetáculo.


Destaque para a atuação da atriz Vânia Rego, quando abraça Jesus morto após ser tirado da cruz. "Hoje choram em mim todas a mulheres que tiveram seus filhos mortos pelas doenças, choram em mim todas as mulheres que tiveram seus filhos mortos pela guerra, choram em mim todas as mulheres que tiveram seus filhos mortos pela ignorância, choram em mim todas as mulheres que tiveram seus filhos mortos pela intolerância humana e que mesmo em meio à tanta dor, nunca, nunca cansarão de chamar a cada um de vocês de meus filhos", bradou a mãe de Jesus.

Uma das cenas emocionantes do espetáculo, quando Maria pega no colo Jesus, o filho amado já morto


O ato final da apresentação, a ressurreição, foi apoteótico, quando Jesus Cristo surgiu no alto da cena, subindo ao céu, suspenso em um guindaste.


Um final de espetáculo sob efusivos aplausos da plateia que acompanha a apresentação tradicional dos atores do Grupo Kaueré pelo retomo de um dos maiores espetáculos realizados à céu aberto no oeste do Pará desde 1985.




Sobre à mostra

Os grupos que integram a mostra, fazem parte da Associação Cultural dos Artistas, Produtores e Técnicos das Artes Cênicas do Tapajós (Atas), dentre eles o Grupo Kauré, que promoveu espetáculo de abertura na praça Tiradentes.


"Este ano resolvemos fazer uma Mostra mais minimalista, por isso escolhemos a Paixão de Cristo para a abertura, além do período que é da Semana Santa, espetáculo perfeito para esse início”, disse o coordenador da Mostra, Mourrambert Flexa.


Segundo a coordenação, além desse espetáculo, mais três estão na programação, como 'O Cortejo' do Grupo Kauré, no dia 21; 'Exagero Total' do Grupo Faces dia 22; e Espetáculo 'Muyrakytã', do Grupo de Teatro Terra Firme, no dia 23.


Essas apresentações serão todas realizadas na Casa da Cultura, às 19h30, com ingressos que custam R$ 5,00 e R$10,00.


Homenagem

A Atas todos os anos homenageia uma pessoa que contribuiu com o fomento da Arte Cênica e da Cultura no município. Este ano a homenageada é professora Eliana Mara, que morreu em 2021 vítima de câncer após anos de tratamento.


A homenageada foi uma das idealizadoras e fundadora do Projeto Sol Solidário, que sempre utilizava o teatro como meio de transformação social.


Eliana Mara Morais Santos, nasceu em Santarém, formou-se em letras e administração, foi professora de escolas particulares e públicas, e é mãe de dois filhos, Caio e Cauê, que estavam na plateia do espetáculo.


A arte, sempre esteve presente em suas atividades como educadora, por isso, sempre buscava envolver a cultura na educação dos seus alunos.


Sobre o Kauré

O Grupo Teatral Kauré foi fundado no dia 11 de outubro de 1998, data em que se completava o segundo ano de falecimento do ator santareno Manuel Maria Duarte Pereira, o popular Kauré, que passou a ser homenageado por seus amigos e atores Alenilson Ribeiro, Márcia Corrêa, Rosenilce Pires (Nilce) e Rosenira Pires (Nira), que já tinham como experiência teatral, uma longa participação no Grupo Teatral José de Anchieta, o Gruteja (extinto em 2005), e foram membros fundadores da Atas – Associação de Atores, Autores, e Técnicos de Teatro Amador de Santarém.