Essa tal gratidão...

Com muita humildade sou capaz de dizer: eu tenho o que há de melhor nesse mundo! E na minha declaração não cabe exagero nem mentira; apenas gratidão… Esse sentimento que sublima a vida e aumenta a nossa capacidade de amar. Uma porção mágica de contentamento e alegria despretenciosa.

Perdi muito tempo valorizando o que queria conquistar, sem perceber os tesouros que acumulava e que muitas vezes eram tratados como meras bijuterias, despojadas em cantos sem importância da casa, sem qualquer cisma ou receio de perda, dano ou furto. De porta-joias vazio porém trancado em cofres, permanecia a espera do por vir; seguia de coração devotado a próxima conquista.

Um dia, habitualmente, ao caminhar de olhos para o além de minha estatura tropecei no infortúnio da subtração. Ainda caída, de olhar turvado por lágrimas de dor, precisei escrutinar as bases apoiadas naquele chão gelado que me sorvia e depois me regurgitava. Como de costume, olhei para cima procurando algo que reluzisse e só vi sombras.

Ao nível de minha altura, desta vez tão pequenina, observei, sem opção, os pilares do que naquele momento me cercava. Tudo parecia firme, pronto para sustentar o peso do meu corpo e o pesar de minha alma, mas nada era estético para os meus idealizados padrões. Tanta rusticidade me convencia serem tranqueiras, itens de pouco valor, mas precisava levantar e nenhuma outra coisa além do que podia tocar me seria útil naquele reerguer.

Ora, ora! Quando em pé encarei o que me cercava, nada demorou para descobrir que pouco valor tinha eu! Percebi que a perfeição que eu buscava mora muito longe da felicidade - e que a primeira não precisa ser visitada, mas que a segunda habita dentro de nós e que uma vez encontrada não existe possibilidade de errar o caminho porque a estrada restou pavimentada no esforço do autoconhecimento.

E pode ser que exista, mas eu desconheço, forma de chegar a nossa essência mais elementar, a nossa ilha interior de onde é controlado todo o nosso continente que se liga com o mundo social, sem perceber Deus no alto da nossa torre botando o sino para tocar, na hora certa, e o farol para acender nas noites tempestuosas.

Hoje, tranquila em mim, vejo o brilho de tudo o que já possuía iluminando os meus caminhos vindouros. Posso ouvi as risadas gostosas do agora, também em um futuro que já não tenho pressa de alcançar. Basta-me a caminhada! Bastam os passos que me seguem, as pegadas que eu acompanho. E quanto a estética, constatei, é fato! “A beleza está nos olhos de quem vê e no coração de quem decide amar”.

Encanto-me por tudo o que tenho, do jeito e da forma que sou capaz de enxergar, na altura do meu tamanho. Troquei o sonho futuro pela conquista presente e a experiência que tenho adquirido com a gratidão torna a minha vida, a cada dia, ainda mais preciosa.

Dora Paula

29/05/21



Posts Em Destaque