Excesso de internet causa doença comportamental nas crianças

25 de abril de 2022


Atrasos na linguagem, dificuldades de concentração e dificuldade para lidar com os próprios sentimentos são alguns dos problemas que as crianças desenvolvem com a exposição de tela em excesso


Lívia Viana

(Especial para o BN)

Controle do tempo de uso da internet ou mesmo o bloqueio de acessos podem ser feitos por meio de aplicativos gratuitos


Manaus (AM) - Não é de hoje que médicos, psicólogos e especialistas alertam sobre os perigos e os riscos que o uso excessivo e descontrolado das telas, pode causar na segurança e na saúde física e mental das crianças. A exposição cada vez mais cedo e frequente dos pequeninos diante da internet tem desencadeado uma intoxicação digital alarmante.


Uma pesquisa da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) ouviu mais de seis mil crianças no país e concluiu que a pandemia aumentou o uso da tecnologia pelo público infantil. Na pesquisa, 51% dos entrevistados responderam que os filhos passam mais de quatro horas usando telas, e 24% ficam de três a quatro horas por dia.


O recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) é que as crianças com mais de 5 anos passem, no máximo, duas horas por dia diante de uma tela de celular. Para as crianças de 2 a 5 anos, a recomendação é uma hora, e menores de 2 anos nem devem pegar no celular.


O oftalmologista Diego Mascato afirma que com a tecnologia nas palmas das mãos, é muito comum receber pacientes com queixas oculares, “em relação às crianças, é visível que houve um aumento de uso de óculos por parte delas, isso ocorre devido a exposição e tempo prolongado no uso de telas”, enfatiza o profissional.


Danos à saúde

Esse uso excessivo pelos pequeninos, ativa um neurotransmissor chamado dopamina, responsável pela sensação de prazer. O problema é quando essa ativação ocorre com muita frequência e as crianças ficam confinadas ao entretenimento digital. Aumentando o sedentarismo e, consequentemente, a pouca interatividade até mesmo com os pais.


Sem a convivência presencial, os efeitos negativos aparecem e incluem atrasos na linguagem, dificuldades de concentração e dificuldade para lidar com os próprios sentimentos. Além de prejudicar diretamente, o processo de formação do cérebro. Mas a preocupação dos pais e responsáveis não para por aí. A internet esconde inúmeros perigos, que torna essa preocupação inevitável.


A psicóloga especializada em neuropsicologia, Francineide de Sales, explica que infância e a adolescência são fases de desenvolvimento, onde o ambiente familiar é sua maior referência. A especialista também ressalta que “os pais têm o papel fundamental de auxiliar seus filhos no uso seguro da rede, dando orientação e acompanhamento, garantindo o bem-estar no uso da internet”.


Dependência comportamental

Segundo uma pesquisa realizada pela TIC Kids Online Brasil, divulgada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), cerca de 24,3 milhões de crianças e adolescentes, com idade entre 9 e 17 anos, são usuários de internet no Brasil, o que corresponde à 86% do total de pessoas dessa faixa etária no país. Percentual mais alto que a média da população.


“É necessário explicar para a criança que o uso da tecnologia é uma ferramenta de auxílio prático, mas que não deve ser usado de forma abusiva. A dependência é uma "doença comportamental", logo, mudando o comportamento, retiramos a doença. A dependência digital é de difícil tratamento, mas a melhor prevenção é a psicoeducação, no sentido de desenvolver uma rotina saudável desde de infância oferecendo outros tipos de atividades que desenvolvam a criança”, afirma a psicóloga, Francineide de Sales.


Aplicativos para proteger a saúde e a segurança das crianças

Para ajudar você nessa empreitada, listamos quatro aplicativos gratuitos para iOS e Android que permitem o monitoramento à distância das atividades dos seus filhos, para auxiliar nos cuidados com a internet, e evitar que as crianças estejam vulneráveis ou que vejam conteúdos impróprios e prejudiciais à saúde e segurança.


Google Family Link

Este aplicativo gera um relatório sobre o período de uso, permite o controle de compras no Google Play Store, rastrear a localização, ocultar aplicativos, bloquear o dispositivo e limitar o tempo de uso. Os relatórios sobre as ações da criançada no celular podem ser gerados mensalmente ou semanalmente. O app também permite que até cinco responsáveis possam monitorar o mesmo telefone, e está disponível para iOS e Android.