Expansão da educação superior a todos os municípios do Amazonas é pauta da Ufam

10 de março de 2022

"Nossa vinda a Brasília reflete o compromisso com o futuro da Ufam e com um modelo de educação pensado no fortalecimento da região", afirmou a vice-reitora da Universidade Federal do Amazonas, professora Therezinha Fraxe, ao concluir o primeiro dia da agenda institucional que incluiu, pela manhã, reunião com o ministro da Educação, Milton de Magalhães Cordeiro e com o secretário do Secretaria de Educação Superior (Sesu/MEC), Wagner Vilas Boas e com a presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Cláudia Mansani Queda de Toledo, à tarde.


Na comitiva da vice-reitoria também estavam a assessora especial, professora Maria Tereza Lopes, o diretor do Centro de Educação a Distância, professor João Victor Rodrigues e a diretora do Departamento de Desenvolvimento de Pessoas, administradora Tereza Cristina Pinheiro.


"Dois grandes objetivos nos trouxeram até o MEC, hoje, o primeiro deles é a intenção de concretizarmos o termo de cooperação que assinamos junto à Associação dos Municípios para levarmos educação na modalidade a distância para todo Amazonas. O segundo, garantir que tenhamos capital intelectual e técnico capacitados para gerir e executar projetos de importância e envergadura, que pensem a educação de qualidade na Amazônia.


Ao ministro Milton Ribeiro, Therezinha Fraxe fez a defesa do primeiro pleito, justificando a demanda por cursos que atendam às características regionais e que, de igual forma, vislumbrem inclusão tecnológica, promovendo desenvolvimento e extraindo o máximo das potencialidades locais.


Com a efetiva expansão do escopo de atuação, o Centro de Educação a Distância passaria a ofertar mais 9.300 vagas, cobrindo integralmente o Estado com três cursos superiores tecnológicos. Desde a sua fundação em 2007, o CED Já ofertou mais de 7000 vagas em cursos de graduação e pós-graduação em municípios do interior do Amazonas, além de alguns municípios em outros estados, como Roraima, Acre e Rondônia.


O diretor do centro de educação a distância apresentou ao secretário algumas concepções da organização didática que vêm sendo discutidas para oferta de cursos EAD no contexto regional. "Recebemos convite para compor, junto a outras 11 universidades públicas, um grupo de trabalho para implementação da EAD de forma institucionalizada pelas IES públicas", disse.


Para o Sesu/MEC é estratégico que tenhamos mais Universidades participantes do projeto de ampliação do ensino a distância. Num levantamento recente tivemos como resultado que apenas 5% das IFs vinham promovendo iniciativas de formação com características de EaD. Uma das nossas metas é que possamos propor projetos-pilotos para que as Instituições possam adotar e aprimorar a partir de suas próprias experiências e análises. Sendo assim, a partir desse encontro, certamente estreitaremos os laços, o diálogo, para fazer o que pudermos pela Ufam dentro que compete ao Sesu/MEC e o tema ensino na modalidade a distância", disse o secretário.


A pauta número dois da agenda com o MEC se referiu ao que a vice-reitora intitulou como uma ação necessária para sanar um passivo de anos junto à Ufam e junto aos diretores de unidades e gestores de setores estratégicos que mesmo em cargo de muita responsabilidade não recebem gratificação. Por orientação do ministro, o pedido, que já havia sido feito formalmente pela Ufam, será encaminhado pelo próprio MEC, em meados de abril, para o Ministério da Economia, a quem compete a geração de novos códigos de vagas e gratificações correspondentes aos cargos de direção.


"A criação de novos códigos de vaga e de CDs, por exemplo, requerem uma articulação que exige desde Projeto de Lei dando previsibilidade aos cargos até análise sobre o impacto orçamentário. Demanda empenho do Legislativo e do Executivo", explicou.


Fonte: https://ufam.edu.br/