Irmãos que estavam perdidos na mata, em Manicoré, recebem alta após 20 dias de internação

6 de abril de 2022


Os meninos ficaram 27 dias perdidos na área de floresta e foram encontrados no dia 15 de março em estado de desnutrição

Após 49 dias longe do convívio familiar os meninos voltam para casa. Os irmãos receberam alta nesta quarta-feira (6), e serão acompanhados por uma equipe de atenção básica na comunidade onde moram.


(Manaus-AM) - Após ficarem 20 dias internados no Hospital e Pronto-Socorro da Criança Zona Oeste (HPSC-ZO), os irmãos Gleiçon Carvalho Ferreira, de 9 anos, e Glauco Carvalho Ferreira, 7, receberam alta da unidade de saúde na manhã desta quarta-feira (6).


As crianças deram entrada na unidade no dia 17 de março, após ficarem 27 dias perdidos na floresta em Manicoré (a 332 quilômetros da capital). Os meninos despareceram no dia 21 de fevereiro quando saíram sem a presença de um adulto para caçar passarinhos e acabaram se perdendo, eles foram encontrados no dia 15 de março em estado de desnutrição precisando ser transferidos para Manaus.

Após a transferência em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) aérea da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), as crianças foram acompanhadas por equipe multidisciplinar durante todo o período em que permaneceram na unidade. De acordo com boletim médico, eles apresentaram condições clínicas para a alta hospitalar na terça-feira (05/04).


Recuperação de peso – O pediatra Eugênio Tavares, médico responsável pelo acompanhamento dos irmãos, destacou que o quadro de desnutrição vem sendo revertido.

O caçula, Glauco, foi internado com 12kg e saiu com 18,7kg. Já o irmão mais velho, Gleiçon, pesava 18kg quando deu entrada na unidade de saúde, e nesta quarta-feira deixou o hospital pesando 26kg.

“A dieta que a gente faz para eles é especial, diferente da nossa. São alimentos que já são semiprocessados, não em relação a conservantes, mas sim quebrados em partes menores para facilitar a absorção. Com isso eles conseguiram recuperar peso mais rapidamente”, detalhou o pediatra.

O médico informou que Glauco apresentou um quadro de insuficiência renal, mas já se recuperou; e que as infecções foram curadas e as lesões de pele estão em fase de cicatrização.

As crianças devem retornar para a comunidade indígena Palmeira, em Manicoré na próxima terça-feira (12)

Acompanhamento – As crianças devem retornar para a comunidade indígena Palmeira, em Manicoré, onde moram, na próxima terça-feira (12). Após deixarem o HPS infantil da zona oeste nesta quarta (6), os dois foram com os pais para a Casa de Apoio à Saúde Indígena (Casai), coordenada pelo Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Manaus, que é vinculado ao Ministério da Saúde.

“No local onde eles moram, eles têm acompanhamento da equipe médica, de enfermagem e odontológica. Eles serão acompanhados normalmente por essa equipe de atenção básica”, disse Januário Neto, coordenador do DSEI Manaus.</