Jornalista do BN toma posse na Academia de Educação do Brasil

Como acadêmica atuante na área literária, ela deverá desenvolver projetos que comuniquem a educação, a literatura e o campo jornalístico.



Registro da posse: A jornalista Maria Auxiliadora Paula de Paiva, entre a presidente da Academia de Educação do Brasil (Acebra), professora Cecília Maria Rodrigues de Souza; a presidente da Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil - coordenadoria Amazonas (Ajeb-AM), Kátia Maria dos Santos Colares Ribeiro; e o paraninfo Luiz Carlos Rodrigues Albino, marido da acadêmica. Foto: Rennier Recco



Jonária França (Nova Mutum - MT) A jornalista Maria Auxiliadora Paula de Paiva foi empossada, na última segunda-feira (27), como membro fundadora da Academia de Educação do Brasil (Acebra). A mais nova imortal passa a ocupar a cadeira de número 31.


A solenidade de posse ocorrida no auditório Belarmino Lins, da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), localizado na Avenida Mario Ypiranga Monteiro, bairro de Parque Dez, zona Centro-Sul, marca o início dos trabalhos da Acebra, que tem como proposta estimular iniciativas e projetos voltados para o desenvolvimento da educação no Brasil.


De acordo com Dora Paula (como é mais conhecida no meio profissional), a Acebra teve sua fundação oficializada no dia 05 de junho deste ano. “Esse é o primeiro grupo de trabalho que vai estruturar a Academia”.


Ainda segundo a jornalista, cada acadêmico (ou grupos de acadêmicos) ficará responsável por um projeto que incentive boas práticas envolvendo as várias etapas da educação - desde a básica até a superior.


Inspiração

Como mentor intelectual, figura que na academia simboliza a inspiração do trabalho que será realizado por cada membro, Dora Paula escolheu o jornalista, professor, advogado e senador Danton Jobim, fundador da primeira universidade pública de jornalismo no Brasil.


“Ele foi o responsável pela modernização do jornalismo no país, com a introdução do ‘lead’ e da ‘pirâmide invertida’. Concebia o jornalismo como algo além de uma simples atividade profissional. Para ele, jornalismo devia ser um exercício superior da inteligência e da cultura. Como educador, sempre destacou a formação humanística profissional, valorizando de forma pragmática questões moral, cultural e técnica para os estudantes da área”, explica a acadêmica, e continua: “Para mim será uma honra dispor da minha cadeira, entre intelectuais, para abordar temas relacionados à educação e ao ensino superior do jornalismo, em prol do constante desenvolvimento intelectual e moral de nossa sociedade”.


A Academia de Educação do Brasil é composta por 40 membros efetivos e 20 membros correspondentes. Os primeiros acadêmicos tomaram posse na noite de ontem (27) e no dia 11 de março deverão ser empossados outros membros que não puderam estar presentes na cerimônia desta segunda-feira.




Sobre a acadêmica

Maria Auxiliadora Paula de Paiva, assina suas obras como Dora Paula. É jornalista, escritora e poetisa. Membro fundadora da Associação de Jornalista e Escritoras do Brasil - coordenadoria Amazonas (AJEB-AM), onde atualmente exerce a função de vice-presidente. É detentora da 'Comenda Vitória-Régia', da Federação Brasileira dos Acadêmicos das Ciências, Letras e Artes (Febacla); do título de 'Paladino da Cultura da Região Norte', concedido pelo Centro Sarmathiano de Altos Estudos Filosóficos e Histórico (CSAEFH); e do Diploma Manaus 350 anos, da Academia de Letras do Brasil - Amazonas (ALB-AM), em reconhecimento ao apoio à cultura para o engrandecimento da terra dos Manaós. Sócia-fundadora do portal Boas Notícias Amazônia. E a partir de agora, ocupante da cadeira 31 da Academia de Educação do Brasil (Acebra).