Ministério do Turismo deve gerar mais de 1.500 empregos diretos no AM

Manaus, Iranduba e Presidente Figueiredo são sede de quatro projetos selecionados pelo governo federal para minimizar os efeitos negativos causados no setor de turismo, em decorrência da pandemia da Covid-19. Os projetos, quando saírem do papel, vão gerar, juntos, mais de 1.500 novas vagas diretas de emprego, movimentando cerca de 16 milhões de reais nos municípios correspondentes. Pelo menos duas das propostas devem ser iniciadas ainda neste ano, ressalta o presidente do Instituto Amazônia Equatorial, organização não governamental (ONG) que busca facilitar a melhoria da qualidade de vida dos povos da Amazônia, Hipérion Monteiro.


Entre os projetos contemplados estão: a construção de um centro turístico comunitário no município de Iranduba, especificamente na comunidade de Paricatuba, que possui alto potencial turístico; a construção do Parque Horizonte de Balbina, que vai contar a implantação de um moderno teleférico, de um palco para realização de eventos e da reurbanização do Morro do Elefante; a revitalização do Museu do Porto de Manaus e a instalação do acervo histórico, além da realização da Feira Internacional Sea Trade Global para divulgação internacional do Estado do Amazonas durante 36 meses.


A iniciativa está apoiada em quatro eixos de atuação: preservação de empresas e empregos no setor de turismo; melhoria da estrutura e qualificação de destinos; implantação dos protocolos de biossegurança e promoção e incentivo às viagens.


Ainda de acordo com Monteiro, os projetos integram uma série de medidas realizadas pelo Governo Federal para fomentar o turismo em segmentos considerados cruciais na retomada das atividades no contexto pós-pandemia. “Estamos empenhados em definir estratégias que permitam o Amazonas a aproveitar ao máximo todo o seu potencial. E, nesse sentido, a valorização do turismo interno é um pilar vital".


O Ministério do Turismo facilitou empréstimos do Fundo Geral de Turismo (Fungetur), além de ter agilizado a destinação de R$ 381 milhões a novos financiamentos. O Mtur, por meio de um ato normativo, e de olho na demanda futura, trabalha a divulgação de atrativos e de espaços de eventos, além de destacar a importância de investimentos públicos em infraestrutura e promoção e da atuação da iniciativa privada. A ação busca definir um plano estratégico focado na retomada de atividades de lazer e eventos.


Fonte: MG Assessoria de Comunicação e Eventos


Posts Em Destaque